Os Equinodermos - BioMania
DVD Atividades práticas
DVD práticas em sala de aula - Práticas de Biologia e Ciências
www.biocompras.com.br

Menu
Busca



Newsletter

Cadastre-se e recebe novidades do BioMania no seu e-mail!


DVDs Slides Premium + DVD Atividades práticas em sala de aula
De: R$ 368,00 Por: R$ 99,00
Economia: 73% Off

DVDs Slides Premium - 8.000 slides - Ciências e Biologia
De: R$ 239,00 Por: R$ 59,00
Economia: 75% Off

Lanterna Led Tática Recarregável Cree Q5 com zoom + Bateria + Carregador
De: R$ 129,00 Por: R$ 69,00
Economia: 47% Off


   Invertebrados


OS EQUINODERMOS


1. Apresentação

Alguns dos mais conhecidos habitantes dos oceanos, como as estrelas-do-mar, as bolachas-da-praia e os ouriços-do-mar, pertencem ao filo Echinodermata (do grego echinos, espinhos, e derme, pele). Como sugere o seu nome, os animais desse grupo apresentam espinhos na pele. São encontrados exclusivamente em ambiente marinho. São bentônicos, isto é, vivem fixos ou locomovem-se junto ao leito oceânico. Todos equinodermos são isolados e têm vida livre, e não há no grupo nenhum representante parasita.

Apesar de serem invertebrados, possuem uma série de características próprias dos vertebrados, como veremos a seguir.

2. Estrutura Corporal

Os equinodermos são animais triblásticos celomados. Ao contrário dos demais invertebrados, o orifício embrionário primitivo (blastóporo) dos equinodermos não dá origem à boca, mas ao ânus. Portanto, assemelham-se mais aos vertebrados que, assim como os equinodermos, são por isso chamados de animais deuterostômios.

Apresentam simetria radial, geralmente com o corpo podendo ser dividido em porções semelhantes em quantidade de cinco ou múltiplo de cinco. Devido a essa possível divisão, a simetria dos equinodermos é chamada pentarradial.

Também como característica comum com vertebrados, os equinodermos possuem um endoesqueleto de origem mesodérmica, formado por placas calcárias parcialmente articuladas. Dessas placas, partem os espinhos que se projetam para fora do corpo desses animais.

Uma outra característica marcante do grupo é a presença do sistema ambulacrário ou sistema vascular aqüífero, conjunto de canais que apresenta funções de distribuição, trocas e de locomoção.

3. Classificação

O filo Echinodermata é dividido em cinco classes:

a) Asteroidea: têm corpo achatado, com forma de estrela e dotado de 5 a 50 braços. Locomovem-se sobre o leito oceânico e são carnívoros. Exemplos: estrelas-do-mar.

b) Echinoidea: seu corpo é circular, sem braços. Exemplos: ouriço-do-mar e bolacha-da-praia.

c) Holothuroidea: Apresentam corpo alongado, semelhante a um pepino, e não têm braços. Exemplo: pepino-do-mar (ou holotúria).

d) Crinoidea: animais com o corpo em forma de taça, com cinco prolongamentos que parecem plumas longas e flexíveis. A maioria dos representantes vive fixa ao fundo. Exemplo: lírios-do-mar.

e) Ophiuroidea: é o maior grupo dos equinodermos. Corpo achatado, com braços flexíveis bem distintos, unidos a um disco central. Exemplo: serpente-do-mar.

4. Organização Básica

A estrutura corporal dos equinodermas baseia-se na existência do sistema ambulacrário. Tomando como exemplo a estrela-do-mar, a face do corpo voltada para o solo ou outro substrato é a face oral; a oposta é a face aboral, onde está o ânus e a placa madrepórica. Essa placa é perfurada e permite a entrada de água do mar, que preenche todo o sistema. Pelo canal madrepórico, a água alcança o canal circular, onde existem dilatações chamadas vesículas de Poli. Dessas vesículas, saem cinco canais radiais, que se dirigem para os braços. Ao longo desses canais radiais, há centenas de pequenas bolsas, chamadas ampolas, de onde partem os pés ambulacrários (ou ambulacral).

As contrações da ampola forçam a água para dentro do pé ambulacrário, que então se distende e projeta-se para fora do corpo através de pequenos orifícios do esqueleto. Quando a ampola relaxa, o pé correspondente contrai e expulsa a água do seu interior, retraindo-se.

A contração e a retração contínuas e coordenadas dos pés ambulacrários permitem que a estrela-do-mar se locomova e use os pés com pequenas ventosas, podendo capturar alimentos, fixar-se a um substrato, abrir conchas de moluscos, etc.

O sistema digestivo é completo. Os ouriços-do-mar possuem, na boca, uma estrutura raspadora chamada lanterna-de-Aristóteles. As estrelas-do-mar são capazes de everter o seu estômato, introduzindo-o no interior de conchas de moluscos, digeridos ainda vivos.

O sistema circulatório não está presente ou é rudimentar, e a distribuição de materiais faz-se através da cavidade celomática. A excreção é feita diretamente através da água que ocupa o sistema ambulacrário, não havendo nenhuma outra estrutura excretora especializada.

A respiração ocorre por difusão, entre a água do mar e a que ocupa o sistema ambulacrário. Nos pepinos-do-mar, há uma série de filamentos ao redor da boca, pelos quais passa o líquido celomático, que funcionam como brânquias. Não há pigmentos transportadores de oxigênio. Os ouriços-do-mar possuem brânquias dérmicas, análogas às brânquias periorais dos pepinos-do-mar e também ocupadas por líquido celomático. Entre as brânquias dérmicas e os numerosos espinhos, os ouriços-do-mar possuem apêndices chamados pedicelárias, dotados de pinças nas extremidades e empregados na limpeza de detritos que se depositam no corpo. Em algumas espécies, essas pedicelárias inoculam veneno.

O sistema nervoso é rudimentar e não apresenta cefalização. Consiste de um nervo anular, ao redor da boca, de onde partem nervos para a periferia do corpo.

5. Reprodução

Os equinodermos são dióicos e a fecundação é externa. O desenvolvimento é indireto, com passagem por estágios larvais, como as larvas plúteo e biplanária, todas de vida livre e nadantes. Por serem móveis, as larvas representam a principal forma de dispersão desses animais, podendo deslocarem-se dos ancestrais e ocuparem locais afastados deles.






Vídeos desta matéria

   Ciclo de vida de equinodermos


Os animais mais estranhos do planeta

Glaucus atlanticus é uma espécie de lesmas-do-mar pelágicas pertencente ao grupo dos moluscos nudibrânquios da família Glaucidae, sendo a única espécie conhecida do género Glaucus

.A espécie está estreitamente aparentada com Glaucilla marginata, outro membro da família Glaucidae. Estes nudibrânquios medem ...




[ Mandar esta matéria para um amigo ]
 
Disciplinas
Aeronáutica e astronáutica 
Anatomia Humana 
Artrópodes 
Astronomia 
Biofísica 
Biografias 
Bioquímica 
Botânica 
Citologia 
Dinâmicas 
Ecologia 
Embriologia 
Evolução 
Fisiologia 
Fisiologia Vegetal 
Frutas Comestiveis 
Genética 
Geografia Fisica 
Geologia 
Histologia 
Ictiologia 
Imunologia 
Invertebrados 
Meio Ambiente 
Microbiologia 
Patologias 
Reproduçao 
Taxonomia 
Vertebrados 
Zoologia 
 
© 1999/2014 - BioMania- Todos os direitos reservados