Ovos e Anexos Embrionários - BioMania
DVD SLIDES DE QUÍMICA
Clique e saiba mais: www.biocompras.com.br

Menu
Busca



Newsletter

Cadastre-se e recebe novidades do BioMania no seu e-mail!


DVDs Slides Premium + DVD Atividades práticas em sala de aula
De: R$ 368,00 Por: R$ 99,00
Economia: 73% Off

DVD Atividades Práticas em sala de aula - Ciências e Biologia
De: R$ 129,00 Por: R$ 49,00
Economia: 62% Off

Série Slides Prêmium - Química
De: R$ 99,00 Por: R$ 39,00
Economia: 61% Off


   Embriologia


OVOS E ANEXOS EMBRIONÁRIOS


1. Tipos de Ovos

Os ovos se classificam de acordo com a quantidade e distribuição do vitelo, bem como com o tipo de segmentação que irão sofrer.

a) Oligolécitos: ovos com pequena quantidade de vitelo, distribuídos uniformemente pelo citoplasma. Também chamados isolécitos. Encontrados em mamíferos placentários, que possuem desenvolvimento embrionário longo e cujos embriões são nutridos pela mãe, por intermédio da placenta.

 

b) Heterolécitos: possuem média quantidade de vitelo, podendo ser conhecidos por mediolécitos. O vitelo distribui-se irregularmente, concentrando-se em um dos pólos.

 

c) Telolécito ou Megalécito: tem grande quantidade de vitelo, que ocupa quase todo o ovo. Ocorre em peixes, répteis e aves.

 

d) Centrolécitos: o vitelo, nestes ovos, circunda o núcleo. É típico de artrópodos.

 

 

2. Tipos de Segmentação

Holoblástica ou total: a segmentação envolve todo o ovo.

a) Holoblástica igual: o ovo se divide em blastômeros de mesmo tamanho. Ocorre nos ovos oligolécitos.

 

b) Holoblástica desigual: ocorre no ovo telolécito polar incompleto, onde, pela distribuição desigual do vitelo, os blastômeros resultantes têm tamanho diferente. No pólo animal (com pouco vitelo) surgem células pequenas, e no pólo vegetativo surgem células maiores.

Meroblásticas ou parcial: apenas uma parte do ovo se envolve na segmentação.

 

a) Meroblástica discoidal: no ovo telolécito polar completo, o vitelo enche quase todo o seu interior, exceto o pólo animal (disco germinativo). Somente nesse ponto ocorrem mitoses, e a região vitelínica não se divide.

 

b) Meroblástica superficial: nos ovos centrolécitos, o núcleo se divide várias vezes, os núcleos resultantes migram para a superfície do ovo e continuam a se dividir.

 

 

 

 

3. Anexos Embrionários

Durante o seu desenvolvimento, o embrião origina estruturas que, de alguma forma, irão auxiliá-lo. São os anexos embrionários, que não farão parte do indivíduo adulto.

O vitelo do ovo é revestido por uma membrana que se origina da mesoderme e da endoderme. É o saco vitelínico, responsável pelo armazenamento de nutrientes. É o único anexo embrionário presente em peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos.

Os embriões de peixes e anfíbios se desenvolvem em meio aquático. Retirados da água, sofrem intenso dessecamento e morrem. O embrião de outros vertebrados possui uma membrana de revestimento que impede a perda de água, chamado âmnio. Observa-se nos embriões dos répteis, das aves e dos mamíferos, conhecidos por amniotas.

Na evolução dos vertebrados, os répteis foram os primeiros amniotas, o que lhes permitiu a conquista definitiva do ambiente terrestre.

De origem idêntica ao âmnio, encontra-se, nos animais amniotas, o cório, revestimento externo do embrião, que lhe confere proteção mecânica, proteção térmica e contra a entrada de microorganismos.

O cório e o âmnio se desenvolvem a partir da mesoderme e a ectoderme.

O alantóide tem membranas que se fundem com o cório, apresentam intensa vascularização e, é onde ocorrem as trocas gasosas respiratórias do embrião. Também é a vesícula de armazenamento de resíduos. Nos répteis e nas aves, acumula ácido úrico, a sua excreta nitrogenada. A origem do alantóide é a mesma do saco vitelínico.

Os anexos embrionários no ovo de uma ave

 

Quando se abre um ovo de galinha, o que se observa, além do ovo propriamente dito, é uma casca de carbonato de cálcio, as membranas da casca, a bolha de ar e a clara (ou albúmen). A casca confere proteção mecânica, enquanto o albúmen também é utilizado na nutrição do embrião assim como o vitelo.

A maioria dos mamíferos (os ditos placentários) desenvolvem um órgão de trocas materno-fetal, a placenta. Separados por delgadas membranas, sem que haja mistura, circulam o sangue materno e o sangue do embrião. Por difusão, determinadas moléculas podem passar de um lado para outro. A placenta desempenha importante funções:

a) nutrição

b) trocas gasosas

c) excreção de resíduos, particularmente a uréia

d) fixação ao útero

e) imunização passiva, pela passagem de anticorpos maternos para o sangue fetal.

f) função endócrina , produzindo progesterona.

 

 

 

 

O esquema abaixo correlaciona cada grupo de vertebrados com os anexos embrionários que possui:






Os animais mais estranhos do planeta

Pastor-bergamasco (em italiano: Cane de pastore Bergamasco) é uma raça canina oriunda da Itália. Criada a partir de cruzamentos entre os cães pastores chegados da Ásia, é parente próximo ao pastor-de-briard, que, segundo afirmam, originou o famoso pastor-de-brie, cujo "nascimento" ...




[ Mandar esta matéria para um amigo ]
 
Disciplinas
Aeronáutica e astronáutica 
Anatomia Humana 
Artrópodes 
Astronomia 
Biofísica 
Biografias 
Bioquímica 
Botânica 
Citologia 
Dinâmicas 
Ecologia 
Embriologia 
Evolução 
Fisiologia 
Fisiologia Vegetal 
Frutas Comestiveis 
Genética 
Geografia Fisica 
Geologia 
Histologia 
Ictiologia 
Imunologia 
Invertebrados 
Meio Ambiente 
Microbiologia 
Patologias 
Reproduçao 
Taxonomia 
Vertebrados 
Zoologia 
 
© 1999/2014 - BioMania- Todos os direitos reservados